Educação Ambiental

No âmbito do projeto prevê-se uma série de trabalhos de sensibilização, indo de encontro aos objetivos do projeto e à necessidade de conservação da biodiversidade junto do público escolar.


O Balanço de mais um ano de LIFE IP AZORES NATURA

04/01/2021 - Direção Regional do Ambiente
No passado dia 1 de janeiro o LIFE IP AZORES NATURA assinalou mais um aniversário, hoje, como forma de comemorar essa data, e fazendo o balanço de mais um ano, divulgamos o nosso vídeo de aniversário.

Mais do que um ornamento natalício

29/12/2020 - Direção Regional do Ambiente
O Ilex azorica (azevinho), é um arbusto perene com folhas verde escuras e frutos vermelho que tornam o seu aspeto característico e fácil de distinguir entre a floresta Laurissilva. Historicamente, o azevinho teve inúmeros usos, como é o caso da alimentação ao gado, moldando, desta forma, alguns aspetos da paisagem açoriana, nomeadamente, algumas pastagens. Quanto ao seu estatuto de proteção, o seu uso para alimentação de gado que ainda hoje permanece, aliado à ocupação do Homem em locais onde, normalmente, ocorreriam azevinhos, a ameaça silenciosa de espécies invasoras e o risco de hibridação ainda pouco estudado tornou esta espécie vulnerável. Mais do que um ornamento natalício conhecido por todos o azevinho é uma espécie endémica extremamente importante no ecossistema açoriano, servindo de alimento a inúmeras espécies e, inclusive, ao Priolo (Pyrrhula murina) (espécie-alvo do projeto LIFE IP AZORES NATURA) que se alimenta quase exclusivamente dos botões florais do azevinho no início do Inverno quando a abundância de alimento é pouca. Por estas razões, e pela sua vulnerabilidade, esta espécie requer, por todos nós, um cuidado especial.

Evento de limpeza costeira e subaquática na Zona Especial de Conservação do Monte da Guia e no Porto da Horta

22/12/2020 - Direção Regional do Ambiente
A Direção Regional dos Assuntos do Mar tem o prazer de apresentar a curta metragem produzida voluntariamente pelo biólogo Nuno Potes e a bióloga marinha Ana Besugo que realça a dedicação, entusiasmo e vontade em fazer a diferença dos cidadãos, organizações e empresas envolvidas no evento de limpeza que decorreu no dia 26 de setembro na ilha do Faial. Esta ação foi realizada âmbito do Dia Europeu do Mar e do Ocean Clean-up Day. Esta ação de limpeza, sensibilização e envolvimento da comunidade local têm enquadramento na ação C10.1do projeto de Conservação da Natureza LIFE IP AZORES NATURA. Foi com enorme prazer que assistimos a uma aderência tão significativa para a problemática do lixo marinho no mar da região. De toda a equipa LIFE IP AZORES NATURA, o maior agradecimento a todos os intervenientes e cá estaremos no próximo ano para continuar o trabalho iniciado!!!

Newsletter LIFE IP AZORES NATURA – 1ª EDIÇÃO (Especial de Natal)

18/12/2020 - Direção Regional do Ambiente
Newsletter LIFE IP AZORES NATURA 1ª Edição:   Apresentamos a primeira edição da Newsletter do LIFE IP Azores Natura que contém atividades realizadas, notícias, rubricas sobre espécies alvo e passatempos relacionados com o projeto. Esta edição com um caráter natalício, marca o início da Newsletter LIFE IP Azores Natura que contará com uma periodicidade bianual. Continue a participar e a acompanhar as nossas atividades. Contamos consigo! Boas Festas!

O que fizemos em novembro?!

14/12/2020 - Direção Regional do Ambiente
Assista ao vídeo, e reveja todos os nossos eventos e atividades realizadas durante o mês de novembro pelas equipas e parceiros do LIFE IP AZORES NATURA.

Tartaruga-careta: A tartaruga mais conhecida nos Açores

26/11/2020 - Direção Regional do Ambiente
A tartaruga-careta (Caretta caretta) é a tartaruga marinha mais conhecida dos Açorianos, sendo a espécie mais avistada nas águas em redor das ilhas. Os indivíduos que ocorrem nos Açores são provenientes, maioritariamente, das praias da Florida. Após a eclosão dos ovos nestas praias, as pequenas tartarugas enfrentam uma longa jornada oceânica que pode durar até aos 15 anos. É durante esta fase juvenil oceânica que elas ocorrem nos Açores, havendo registos de animais entre os 8 e os 80 cm. Durante a estadia oceânica, as tartarugas são oportunistas, mas alimentam-se, preferencialmente, de seres gelatinosos como a caravela-portuguesa (Physalia physalis) e águas vivas. Quando atingem a fase pré-adulta, as tartarugas-careta, fisicamente robustas, deixam as águas oceânicas e voltam para a costa atlântica ocidental. As jovens tartarugas vão alimentar-se, como os adultos, de caranguejos, moluscos e outros invertebrados costeiros, até atingirem a sua maturidade. A maturidade sexual destes animais acontece por volta dos 30 anos de idade. Os adultos medem cerca de 1 metro de comprimento e podem chegar a pesar mais de 100 kg. Normalmente, as fêmeas voltam à praia onde nasceram para desovar. Estudos demonstram que os Açores representam uma área essencial no ciclo de vida desta espécie, que tem como principais ameaças a captura acidental, o lixo marinho, a poluição e fenómenos relacionados com as alterações climáticas, sendo por isso o seu estatuto de conservação vulnerável, segundo o IUCN*.

Angelica lignescens ou Melanoselinum decipiens?

19/11/2020 - Direção Regional do Ambiente
A espécie que hoje apresentamos é a Angelica lignescens, espécie muito rara que ocorre apenas em habitats onde haja fornecimento contínuo de água. Foi identificada nos Açores, pela primeira vez, em 1842, na ilha do, Faial por Watson, como sendo Melanoselinum decipiens. No entanto, mais tarde, os estudos efetuados levantaram sérias dúvidas sobre a classificação da espécie, pelo que culminaram na mudança de designação para o nome atual. As principais ameaças a esta espécie, já tão rara, são a degradação de habitats e a proliferação de espécies exóticas. Nesse sentido, o projeto LIFE IP Azores Natura irá desenvolver trabalhos de conservação tendo como alvo esta e outras espécies endémicas que caracterizam o nosso património natural.

Resultados do concurso fotográfico “Vamos fotografar invasoras”

18/11/2020 - Direção Regional do Ambiente
Em relação ao concurso fotográfico “Vamos fotografar invasoras” lançado no dia 12 de outubro de 2020 aquando da comemoração da 1ª Semana Nacional sobre Espécies Invasoras, e depois de encerrado o período de envio das fotografias a concurso, bem como de analisadas cada uma das fotografias enviadas, foi apurado o vencedor. Agradecemos a participação de todos os concorrentes, e o interesse demonstrado nesta temática e esperamos continuar a contar com a vossa participação e envolvimento em todas as atividades disponibilizadas pelo projeto LIFE IP AZORES NATURA. Deste modo, e para este concurso, o vencedor foi o ATL/1º ciclo, do Centro Social de Bairro, que nos enviou um conjunto de fotografias de espécies invasoras capturadas por todos os alunos. As fotografias serão utilizadas posteriormente, com os devidos créditos, em atividades, exposições e outros meios elaborados pelo projeto LIFE IP Azores Natura.

O que fizemos em outubro?

13/11/2020 - Direção Regional do Ambiente
Assista ao vídeo, e reveja todos os nossos eventos e atividades realizadas durante o mês de outubro pelas equipas e parceiros do LIFE IP AZORES NATURA.

A Árvore “Dragão”

11/11/2020 - Direção Regional do Ambiente
Dracaena draco (Dragoeiro).  Esta espécie, endémica da região da Macaronésia e nativa nos Açores, é conhecida por muitos devido ao seu porte e aspeto únicos. Pode ultrapassar os 15 metros de altura, os 5 metros de diâmetro e atingir centenas de anos de idade. Muito comum nos jardins de casas açorianas, o nome deriva da cor da sua seiva que, depois de oxidada por exposição ao ar, forma uma substância pastosa de cor vermelho vivo que os nossos antepassados apelidaram de “sangue de dragão”, por acreditarem possuir propriedades curandeiras, sendo também utilizado para tingir tecidos e no fabrico de verniz para violinos.
O seu estado de conservação apresenta-se atualmente como vulnerável no seu habitat natural constituindo, por isso, mais uma das espécies-alvo do projeto LIFE IP AZORES NATURA.


O projeto LIFE IP AZORES NATURA (LIFE17 IPE/PT/000010) é financiado pela União Europeia através do Programa LIFE
A responsabilidade exclusiva pelo conteúdo deste Website reside nos autores, não refletindo necessariamente a opinião da União Europeia.
Nem a EASME nem a Comissão Europeia são responsáveis por qualquer uso que possa ser feito da informação contida na página.