Ciência Cidadã

Algumas ações de conservação contarão com a participação de membros da sociedade civil e de diferentes setores económicos para atingir os resultados ambicionados.


Pescadores açorianos vão à pesca de lixo marinho

01/10/2020 - Direção Regional do Ambiente
Chama-se 'Fishing for Litter' [Pesca de Lixo] e é uma ação de limpeza de lixo marinho de fundo, em especial de artes de pesca perdidas ou abandonadas, em zonas da Rede Natura 2000 ou nas suas imediações, envolvendo pescadores açorianos. Promovida pela Secretaria Regional do Mar, Ciência e Tecnologia, em parceria com a Sea Expert e com a colaboração do Observatório do Mar dos Açores e IMAR / OKEANOS, esta atividade decorre em três ilhas – Faial, Terceira e São Miguel – em simultâneo, envolvendo pescadores locais, que vão ‘pescar’ lixo marinho. Sensibilizar os profissionais da pesca para a problemática do lixo marinho, sobretudo para os impactos da perda ou do abandono de artes de pesca, e para a importância da reposição do bom estado ambiental em áreas da Rede Natura 2000 são os objetivos desta iniciativa. A promoção do uso de linhas de pesca biodegradáveis, que venham substituir o nylon, é também outro dos objetivos. O instrumento a utilizar para recolha das artes de pesca/lixo marinho do fundo foi desenvolvido pelos mestres das embarcações envolvidas nesta iniciativa, em colaboração com os técnicos das direções regionais das Pescas e dos Assuntos do Mar. Esta ação de limpeza vai desenrolar-se em áreas específicas selecionadas pelos próprios pescadores, que foram contratados para prestar este serviço através do projeto europeu LIFE IP AZORES NATURA. Os pescadores realizam três saídas de mar, entre 30 de setembro e 2 de outubro, para recolher artes de pesca abandonadas e outros resíduos dos fundos marinhos, sendo que cada embarcação leva a bordo um observador para registo de toda a informação.


O projeto LIFE IP AZORES NATURA (LIFE17 IPE/PT/000010) é financiado pela União Europeia através do Programa LIFE
A responsabilidade exclusiva pelo conteúdo deste Website reside nos autores, não refletindo necessariamente a opinião da União Europeia.
Nem a EASME nem a Comissão Europeia são responsáveis por qualquer uso que possa ser feito da informação contida na página.