Ilhéu de Baixo

Ilha - Graciosa

Código - GRA2

O Ilhéu de Baixo possuiu uma área de 11,5 há, e encontra-se na Zona Especial de Conservação do Ilhéu de Baixo e Ponta da Restinga (PTGRA0015) e na Zona de Proteção Especial destinada à proteção de aves (PTZPE0029) que faz parte da Rede Natura 2000. No ilhéu, é possível observar diversa flora costeira característica dos habitats de falésia e costas de calhau rolado, da qual se destacam espécies como a vidália (Azorina vidalii), Spergularia azorica, não-me-esqueças (Myosotis maritima) e bracel-da-rocha (Festuca petraea). Esta é também uma importante área para refúgio e nidificação de várias espécies de aves marinhas, nomeadamente o cagarro (Calonectris borealis), o garajau comum (Sterna hirundo), o frulho (Puffinus lherminieri), a gaivota-de-patas-amarelas (Larus michahellis), o painho-da-madeira (Hydrobates castro) e, com destaque especial, o painho-de-monteiro (Hydrobates monteiroi), um endemismo local que nidifica maioritariamente, se não exclusivamente, nos ilhéus da Graciosa. A nidificação de alma-negra (Bulweria bulwerii) no Ilhéu de Baixo foi confirmada em 2017, aumentando a distribuição da espécie, e fixando a Graciosa como a região mais a norte da Europa onde é possível observar esta espécie. O Ilhéu de Baixo foi selecionado para intervenção pelo projeto LIFE IP AZORES NATURA para melhorar o estado de conservação das espécies de aves marinhas abrangidas pela Diretiva Aves (cagarro, garajau-comum, frulho, alma-negra, painho-da-madeira e painho-do-monteiro) através da melhoria das condições de nidificação deste habitat, e proteção das espécies-alvo contra predadores.

O que pretendemos fazer

As seguintes intervenções do projeto terão lugar no Ilhéu de Baixo:
– Instalação de ninhos artificiais para procellariiformes;
– Instalação de caixas de abrigo para garajaus durante a época de reprodução;
– Remoção de espécies exóticas e invasoras, principalmente Tetragonia tetragonoides (espinafres-da-Nova-Zelândia);
– Plantação e sementeira direta de espécies nativas que ocorrem naturalmente nesta zona: Crithmum maritimum, Daucus carota subsp. azoricus, Erica azorica, Euphorbia azorica, Frankenia pulverulenta, Myosotis maritima, Spergularia azorica, Solidago azorica e Tolpis succulenta, para reintroduzir estas espécies no ilhéu ou reforçar populações presentes;
– Implementação de medidas de biossegurança (armadilhas e outros dispositivos) para detetar possíveis invasões por espécies exóticas (por exemplo roedores).

Ilhéu de Baixo Ilhéu de Baixo Ilhéu de Baixo Ilhéu de Baixo Ilhéu de Baixo Ilhéu de Baixo Ilhéu de Baixo
Projeto cofinanciado pelo programa LIFE da União Europeia.

O projeto LIFE IP AZORES NATURA (LIFE17 IPE/PT/000010) é financiado pela União Europeia através do Programa LIFE
A responsabilidade exclusiva pelo conteúdo deste Website reside nos autores, não refletindo necessariamente a opinião da União Europeia.
Nem a CINEA nem a Comissão Europeia são responsáveis por qualquer uso que possa ser feito da informação contida na página.