Ilhéu do Topo

Ilha - São Jorge

Código - SJO2

O Ilhéu do Topo possuiu uma área com cerca de 12 ha, e está enquadrado na Zona de Proteção Especial do Ilhéu do Topo e Costa Adjacente (PTZPE0028), bem como na Zona Especial de Conservação Costa Nordeste e Ponta do Topo (PTJOR0014) quem fazem parte integrante da Rede Natura 2000. Neste local nidificam diversas colónias de aves marinhas, nomeadamente de garajau-rosado (Sterna dougallii), garajau-comum (Sterna hirundo), frulho (Puffinus lherminieri), painho-da-madeira (Hydrobates castro), cagarro (Calonectris borealis) e gaivota-de-patas-amarelas (Larus michahellis atlantis). A população de gaivota no Ilhéu do Topo é uma das maiores do arquipélago podendo ser uma ameaça às restantes espécies pela predação direta de crias e adultos de pequenos procelariiformes, como é o caso do frulho e do painho-da-madeira. Até a data, o ilhéu tem estado sujeito a grande pressão humana e intenso pastoreio, o que contribui para o mau estado de conservação em resultado da degradação dos habitats naturais. Este intenso pastoreio tem efeitos nocivos nas aves marinhas nidificantes devido à destruição ou abandono dos ninhos por pisoteio, e também devido ao consumo excessivo da vegetação existente no ilhéu, o que provoca uma rápida erosão do solo e perda de biodiversidade.

O que pretendemos fazer

As seguintes intervenções do projeto terão lugar no Ilhéu do Topo para melhorar o estado de conservação das espécies de aves marinhas abrangidas pela Diretiva Aves através do aumento da disponibilidade de habitat de nidificação e proteção das espécies-alvo contra predadores:
– Instalação de ninhos artificiais para procellariiformes;
– Instalação de caixas de abrigo para garajaus durante a época de reprodução;
– Remoção de espécies de flora exóticas e invasoras;
– Plantação e sementeira direta de espécies nativas que ocorrem naturalmente nesta zona: Asplenium marinum, Atriplex prostrata, Azorina vidalii, Crithmum maritimum, Erica azorica, Daucus carota subsp. azoricus, Euphorbia azorica, Festuca petraea, Frankenia pulverulenta, Lotus azoricus, Myosotis maritima, Plantago coronopus e Spergularia azorica, para reintroduzir estas espécies no ilhéu ou reforçar populações presentes;
– Implementação de medidas de biossegurança (armadilhas e outros dispositivos) para detetar possíveis invasões por espécies exóticas (por exemplo roedores).

Ilhéu do Topo Ilhéu do Topo Ilhéu do Topo Ilhéu do Topo
Projeto cofinanciado pelo programa LIFE da União Europeia.

O projeto LIFE IP AZORES NATURA (LIFE17 IPE/PT/000010) é financiado pela União Europeia através do Programa LIFE
A responsabilidade exclusiva pelo conteúdo deste Website reside nos autores, não refletindo necessariamente a opinião da União Europeia.
Nem a CINEA nem a Comissão Europeia são responsáveis por qualquer uso que possa ser feito da informação contida na página.